Mensagem sobre os 50 anos de presença marista em Lábrea, no Amazonas

PREZADOS IRMÃOS, EQUIPE DIRETIVA, COMUNIDADE EDUCATIVA e AMIGOS da ESCOLA SANTO AGOSTINHO, da PRELAZIA e da SOCIEDADE de LÁBREA

A/C do Irmão Nilvo e profa. Miralda

"Procuramos garantir que a educação que oferecemos seja social e

culturalmente relevante"(Missão Educativa Marista, nº 133).

Curitiba, 20 de março de 2017

 

Com a cordial saudação do Irmão Joaquim, Sup. Provincial, do Cons. Provincial e demais coirmãos da PMBCS, congratulamo-nos com os Irmãos da Comunidade Marista de Lábrea, com a Direção Geral, equipe diretiva e integrantes da comunidade educativa (educadores, estudantes, colaboradores e famílias) da Escola Santo Agostinho, com Dom Santiago Sebastian, oar (Bispo Prelado), com a sociedade e amigos labrenses...na belíssima ocasião do Jubileu de Ouro da Chegada dos Irmãos Maristas em Lábrea.

Estamos felizes pelos 50 ANOS de labor educativo de muitos audaciosos e abnegados Irmãos Maristas do presente e do passado, mas também do esforço e dedicação dos/as denodados/as educadores/as e colaboradores/as que atuam e lutaram com galhardia para responder aos desafios de cada uma das décadas da gloriosa história da presença marista em Lábrea, e que na efeméride do nosso Jubileu de Ouro, vemos traduzidos numa experiência cheia de entusiasmo pedagógico, evangelização, ação popular e, por que não dizer, de compromisso social e político, uma vez que as cinco décadas da presença marista pelas plagas e biomas amazonenses carregam a herança de um projeto educativo centrado nos princípios e valores da educação bicentenária, herdada de São Marcelino Champagnat, a “formação do bom cristão e do virtuoso cidadão”, objetivo também esse da querida Escola Santo Agostinho, campo privilegiado da nossa atuação apostólica em Lábrea.

Sabemos que educar hoje, exige investimento em educação de qualidade, inovação em tecnologia, sem abrir mão do capital humano e da sua formação permanente. Durante os 50 ANOS da nossa presença em Lábrea, a Escola Santo Agostinho, passou por muitas transformações:seriedade e disciplina, reformas e ampliações da infraestrutura, da área de esportes, desenvolvimento das metodologias e capacitação dos educadores, dentre tantas outras iniciativas e benefícios. A verdade é que só se ensina bem e se constitui em estabelecimento de excelência acadêmica, quando se está em compasso com as dinâmicas e exigências da sociedade aprendente. E a Escola Santo Agostinho demonstrou capacidade de adaptação aos novos tempos em toda a sua trajetória ao acolher as gerações de alunos que estudaram em seus bancos escolares e que ainda hoje acorrem a essa Casa de Educação. E a cinquentenária presença dos Irmãos Maristas vem testemunhando esse renovado compromisso!

O trabalho educativo desenvolvido na Escola Sto. Agostinho seguramente está inscrito no paradigma pedagógico marista, sendo a formação integral das crianças e jovens o centro do processo pedagógico e o principal investimento e preocupação de uma unidade educativa sob os cuidados da instituição marista. Sempre foi preocupação e ocupação dos Irmãos Maristas, estimular os estudantes do Sto. Agostinho a construírem valores capazes de estruturar a sua personalidade e de orientar seus aprendizados e opções de vida.

Desejamos que a presença marista em Lábrea continue sendo fecunda como tem sido nas cinco décadas da nossa atuação para que os estudantes recebam um bom e renomado certificado de educação básica para o enfrentamento do ensino médio e mais à frente dos concursos vestibulares, para o ingresso no ensino superior e para o concorrido mercado de trabalho, mas também e, sobretudo, recebam o “diploma de cidadãos”, de “gente boa”, de pessoas integradas, felizes, sensíveis, solidárias, bem sucedidas, agradecidas. Na visão marista, educação é obra do amor: “Para educar uma criança e um jovem é preciso, antes de tudo, amá-los”, dizia São Marcelino Champagnat.

Parabéns e vida longa à presença marista em Lábrea e, uma vez mais, obrigado a todos pela calorosa acolhida, apoio e simpatia que sempre demonstraram aos Irmãos da “primeira hora” e dos tempos atuais!

Ir. Benê Oliveira

 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.