Grupo realiza experiência de voluntariado em Lábrea

A Região Amazônica é o destino de nove pessoas que realizarão voluntariado entre os dias 19 de janeiro e 5 de fevereiro. O grupo é composto por colaboradores, educadores e uma estudante da Rede Marista, além de uma professora do Instituto Santa María, colégio marista situado na cidade de Limache, no Chile.


Encontros de partilha anteciparam a viagem

Os/as voluntários/as irão a Lábrea (AM), onde desenvolverão atividades recreativas, culturais e de formação junto aos moradores. Visitas a comunidades ribeirinhas também estão previstas. O grupo ficará na Comunidade Marista de Lábrea e será acompanhado pelo animador, Irmão Nilvo Favretto.

Essa é a primeira experiência em grupo de voluntariado na Região Amazônica. Conforme a Coordenadora de Voluntariado da Rede Marista, Rosimar Almeida, a expectativa é oportunizar novas vivências de agora em diante. “O projeto visa favorecer a formação integral, de transformação pessoal e social, a partir de iniciativas que atendem crianças e adolescentes da Escola Estadual Santo Agostinho. Também tem como objetivo auxiliar na conscientização da comunidade sobre a importância da construção conjunta da educação e da cidadania”, explica.

Preparação

Ao longo dos últimos meses, o grupo participou de momentos de partilha a fim de se preparar para a experiência. A última vivência ocorreu no mês de dezembro, em que os/as voluntários/as conversaram com o Irmão Nilvo para acertar os últimos detalhes da viagem.

 

Conheça os/as voluntários/as:

Alejandra Quiroga |Educadora do Instituto Santa María, Colégio Marista que fica em Limache, no Chile. Alejandra foi voluntária em janeiro de 2017no Centro Social Marista Santa Marta, em Santa Maria. Sobre a experiência que irá realizar, ela afirma estar muito feliz por poder fazer a diferença em outro espaço de missão. 

Jaquelini Scartezzini | Faz psicologia na PUCRS. Já atuou como voluntária em diversas instituições de Porto Alegre e, atualmente, faz voluntariado no Hospital São Lucas. Como motivação para a vivência em Lábrea, ela destaca a vontade de se tornar uma pessoa melhor, abrir os olhos para diferentes realidades existentes no Brasil e compreender a forma de vida da população indígena.

Letícia de Castilhos | Atua na Assessoria de Comunicação e Marketing dos Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista. Foi voluntária quando era estudante do Colégio Marista Maria Imaculada, de Canela. Ela espera vivenciar momentos de diálogo e partilhas, ensinar o que sabe e ter muitos aprendizados. “Acredito que essa experiência vai marcar a minha vida, o meu caminhar, pois estarei em um espaço de missão diferente”, conta.

Luiz Carlos Pilloto | É Coordenador Financeiro de Longo Prazo da Rede Marista. Atuou como voluntário no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso. Agora, se prepara com entusiasmo para essa nova experiência.

    

Renato Pereira | É colaborador da Assessoria Jurídica da Rede Marista. Atualmente desenvolve voluntariado no projeto Cibai Migrações, que funciona junto à Paróquia Nossa Senhora da Pompeia, em Porto Alegre. Sua motivação para fazer voluntariado em Lábrea surge da vontade de deixar um legado para as comunidades contribuindo com um mundo mais justo e com melhores oportunidades para todos/as.

Rogério Castro | É educador no Colégio Marista Rosário, em Porto Alegre. Já realizou ações voluntárias com crianças, jovens, idosos, imigrantes em diferentes lugares. Pretende se dedicar a vivenciar e experimentar de forma integral todas as experiências que a estada em Lábrea pode oferecer.

Rosimar Almeida | Entre suas experiências voluntárias, destaca a missão que realizou em Guiné Bissau, na África Ocidental, por três anos. Sua motivação para a vivência na Região Amazônica é conhecer uma das realidades da missão marista e acompanhar o grupo que irá fazer a imersão.

     

Suzana Ferrari | Foi professora do Colégio Marista Santa Maria, em Santa Maria, por 10 anos. Realizou várias ações voluntárias ao longo de sua trajetória profissional com comunidades em situação de vulnerabilidade. Para ela, atuar como voluntária é a oportunidade de se doar e devolver à sociedade experiências e conhecimentos que adquiriu. 

      

Milton Ferrari | É esposo de Suzana Ferrari. Desenvolveu ações de voluntariado junto às comunidades em situação de vulnerabilidade e como membro do Conselho Municipal de Saúde de Santa Maria. Sua escolha pelo voluntariado foi permeada pela vontade de compartilhar com outras comunidades experiências adquiridas ao longo da vida pessoal e profissional.